WhatsApp e a Advocacia

Após um interessante bate-papo com um importante integrante da ADVOCACIA POTIGUAR, em uma manhã de terça-feira, aguardando o início de uma audiência na Vara de Família, veio a inspiração para escrever o presente artigo e, por consequência, a costumeira pergunta: como seria a vida do ADVOGADO sem a utilização do WhatsApp?

Durante a conversa, trocamos algumas ideias sobre o nosso dia a dia de ADVOGADO, as principais angústias e, especialmente, a sensação de que as coisas estão mais rápidas, as pessoas mais ansiosas e que, o que é mais grave, não estamos nos dando conta de que, se não tivermos cuidado, trabalharemos 24 horas por dia, 7 dias por semana, 30 dias por mês e porque não dizer 365 dias por ano.

Sem sombra de dúvidas, para responder o questionamento acima, as primeiras ideias que vêm à cabeça é que, caso não existisse WhatsApp, a VIDA DO ADVOGADO seria mais tranquila, certamente menos acelerada, as conversas com os clientes ocorreriam apenas nas horas de expediente ou quando estivéssemos no escritório, além de que não existiriam aqueles grupos de profissionais para debater assuntos variados e, na maioria das vezes, sem nenhuma vinculação com a atividade jurídica.

No entanto, o principal questionamento a ser respondido é: a vida seria MELHOR ou PIOR?

Como tudo na vida tem um lado BOM e um RUIM, gostaríamos de responder começando pelas vantagens.

Temos costumado fazer uso do WhatsApp de diversas maneiras, dentre as principais profissional e pessoal. Afinal, em algumas vezes até imaginamos como era antigamente que não tínhamos o referido programa ao alcance das nossas mãos.

Profissionalmente, mantemos grupos com a equipe do nosso escritório, com os professores da universidade, com os participantes do mestrado, com integrantes da área jurídica e até mesmo com clientes que, em algumas situações, possibilita a adoção de providências rápidas e, o que é ainda mais importante, a certeza de um retorno mais imediato.

O único detalhe que realmente tem despertado a atenção e que também foi destaque durante aquela conversa minutos antes da audiência da Vara de Família é que, atualmente, inexiste limite para utilização do referido programa. Afinal, qual o ADVOGADO que não recebeu uma mensagem durante o final de semana, acompanhada de diversos questionamentos a respeito de um processo que se encontra em tramitação e que, por não possuir elementos para uma resposta imediata, ficou preocupado por não ter respondido ao cliente?

Outra constatação interessante é que, em razão do referido programa, passamos a não mais receber um e-mail ou a cópia de um mandado recebido pelo cliente com uma nova ação a ser contestada. Na realidade, recebemos uma foto do mandado, acompanhado dos questionamentos a respeito das providências imediatas a serem tomadas.

A conclusão que chegamos é que, no momento atual, não é possível imaginar como viveríamos sem o WhatsApp. Entretendo, ao direcionarmos a análise às desvantagens, percebemos claramente que, com o passar do tempo e diante da ideia de que estarmos 24 horas literalmente no ar e, em algumas situações, trabalhando até sem perceber, alguns estragos emocionais poderão ser ocasionados.

Afinal, não foi à toa que o novo Código de Processo Civil trouxe a contagem dos prazos apenas nos dias úteis e a padronização em todo Brasil do período de recesso forense. ADVOGADO também precisa ter tempo para descansar, curtir a família, os amigos, fazer exercício físico, cuidar da mente e, o principal, literalmente sair do AR.

 

 

+ Leia também

VOLTAR