Colunas


Você tem dificuldade em precificar os honorários advocatícios? Quanto vale o seu trabalho?

Sem dúvida alguma é tarefa muito difícil para os advogados chegar ao preço que será cobrado pela prestação do serviço jurídico. Muitos utilizam a tabela da OAB como referência para cobrar honorários, devendo ressaltar que cada Estado tem a sua tabela própria, sendo um balizador de honorários e ferramenta também útil para orientar quem não sabe o valor mínimo fixado para as atividades jurídicas.

O que seria precificação? A arte de colocar preço nos produtos e serviços? Como você coloca o preço do seu serviço advocatício? Fixar o valor dos honorários faz parte da gestão financeira do escritório e é um dos seus pontos vitais.

Para a especialista na área Beatriz Machnick “saber precificar os honorários é o primeiro passo para o sucesso de um escritório e contribui diretamente para o fortalecimento do segmento da advocacia. Independente do porte da banca, sua especialidade e tempo de atuação, é necessário buscar ferramentas para ser o mais assertivo possível dentro deste ponto vital para o negócio, porém é importante considerar que esse processo de formação do preço vai além de análises financeiras’’.

Há vários métodos no mercado: a tabela da OAB, um percentual do benefício alcançado pelo cliente, especialidade e complexidade da causa, tempo de duração do processo, por processo, por fase, valor dos seus débitos daquele mês, valor cobrado pelos concorrentes, ou até mesmo “qualquer valor”. Com base nisso temos duas observações: a primeira é que nenhum desses pontos está errado, mas usá-los sem organização e planejamento, isso sim, é um grande equívoco; a segunda observação é a seguinte: no final do mês, como você sabe que seu serviço é lucrativo?

Nos grandes Centros existe uma cultura muito utilizada de cobrança de honorários por hora, o que não é muito comum na realidade do Nordeste, assim como a cobrança de consulta; no entanto, muito embora você não faça a cobrança direta ao cliente por hora trabalhada para se chegar ao valor, por exemplo, de um contrato de partido mensal, uma das ferramentas será saber qual o valor da hora trabalhada de quem vai ficar a frente do contrato.

Se você utiliza aleatoriamente e sem planejamento tais regras de precificação, não saberá se determinado contrato traz lucro ou não, sendo necessário, portanto, identificá-lo, muito embora em algumas situações seja importante a manutenção de determinado contrato mesmo dando prejuízo por estratégia de negócio.

É importante destacar que uma das regras básicas será identificar para composição do preço o seguinte: (1) Custo do serviço + (2) despesas geradas + (3) Lucratividade da banca.

Desta forma, diante das reflexões aqui trazidas, será que não seria a hora de você fazer uma análise dos contratos existentes no seu escritório para identificar quais contratos são rentáveis e quais estão dando prejuízos? E, diante da crise econômica instalada, identificar também o custo mensal do seu escritório e aonde poderá ter redução não seria uma solução?

Carlos Kelsen Silva dos Santos, advogado militante, formado em 1999 pela Universidade Potiguar – UnP, especialista em direito civil e empresarial e mestrando em administração pela Universidade Potiguar – UnP, Professor de Prática Jurídica da UnP e sócio/gestor do Lucio Teixeira dos Santos Advogados, além de membro da Comissão de Sociedade de Advogados – CSA da OAB/RN. carloskelsen@ltsadvogados.com.br 

Klevelando Augusto Silva dos Santos, formado em 2002 pela Universidade Potiguar – UnP, especialista em direito civil e empresarial pela UnP, especialista em direito processual civil pela UNP, especialista em direito do trabalho e processo do trabalho pela Faculdade de Natal, mestre em administração pela Universidade Potiguar – UnP, autor do livro Qualidade de Serviços em Escritórios de Advocacia, Professor de Prática Jurídica da UnP e sócio/gestor do Lucio Teixeira dos Santos Advogados, além de Presidente da Comissão de Sociedade de Advogados – CSA da OAB/RN e Membro Consultor da Comissão Nacional das Sociedades de Advogados. klevelandosantos@ltsadvogados.com.br

 

 

+ Leia também

VOLTAR