dever cumprido Claudio Santos despede-se da Presidência do TJ-RN destacando compromisso com a sociedade

Elpídio Junior

Ao se despedir da Presidência do Tribunal de Justiça, cargo que ocupou nos anos de 2015 e 2016, o desembargador Claudio Santos disse em seu discurso durante a sessão de posse dos novos gestores do TJ-RN, no Teatro Riachuelo, nesta quinta-feira (5) à noite, que deixa a Presidência da instituição mais feliz do que entrou, saindo de cabeça erguida. “Se não fiz tudo que pretendia, fiz o possível, mesmo em busca permanente do ideal”, ressaltou o magistrado. Ele assume agora a direção da Escola da Magistratura do Rio Grande do Norte (Esmarn). Em sua fala, Claudio Santos, fez uma retrospectiva do discurso de sua posse, em 2 de janeiro de 2015, quando alertou para a possibilidade de enfrentamento de dificuldades econômicas pelo país e sobretudo, o Rio Grande do Norte.

“À sociedade potiguar, foco primeiro e último das minhas satisfações, informo que fiz o mais que pude, sem esquecer um momento sequer de que se quer um Poder Judiciário à altura das possibilidades financeiras dos cidadãos que contribuem para que este aparelho do Estado funcione em harmonia e dentro do razoável”, frisou o desembargador. Ele destacou que a sociedade continuará exigindo a eficiência da relação do custo/benefício com o volume de tributos que carreia aos cofres do erário.

Claudio Santos enumerou diversas ações de sua gestão como a do ajuste fiscal no TJ-RN, com redução de cargos, gastos com pessoal e economia na folha de pagamentos. Lembrou dos R$ 186 milhões pagos em precatórios, nos últimos dois anos. Mencionou a economia de 10% no valor do aluguel do prédio do Complexo Judiciário e a implantação das audiências de custódia apenas 30 dias após decisão do Supremo Tribunal Federal. Censo dos Servidores e Magistrados com 100% de comparecimento; criação da 2ª Vara da Violência Doméstica de Natal; instalação do Departamento de Recursos Materiais com 2.750 m2 de área construída; finalização do concurso que gerou a posse de 119 tabeliães; e nomeação de 40 novos juízes são algumas das realizações citadas pelo desembargador em seu discurso.

A gestão do presidente que se despede economizou 25% das despesas com pessoal terceirizado e locação de veículos. Ele destacou que sua administração investiu R$ 5 milhões em equipamentos de informática que permitirão a virtualização de 100% dos processos. “Fizemos a instalação de moderno sistema de videomonitoramento eletrônico em 10 unidades judiciais, para segurança de magistrados, funcionários e usuários da Justiça, com investimentos da ordem de 7,5 milhões de reais”, acrescentou. Concluído, esse sistema permitirá o controle de todas as mais de 200 unidades do Poder Judiciário em tempo real em todo o território do Estado.

O desembargador lembrou a conclusão do edifício-sede da Comarca de Parnamirim, com investimentos totais de R$ 16,5 milhões, sendo 2/3 realizados na atual administração, projeto esse iniciado na gestão da desembargadora Judite Nunes. Contratação de quase 1.000 estagiários; conclusão do novo fórum de Nova Cruz; R$ 20 milhões repassados ao Executivo estadual para construção de presídios; e investimentos na estrutura de fóruns, além dos passos iniciais para erguer o prédio sede e mais 10 fóruns também foram relacionados pelo desembargador em sua prestação de contas aos demais desembargadores e ao público presente à cerimônia.

Ao sucessor, Claudio Santos, destinou palavras de confiança. “Desejo ao Des. Expedito Ferreira o pleno êxito em sua administração. Com a certeza de que fará mais e melhor na condução do Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Norte, usando seus profundos e largos conhecimentos aliados à sua experiência de vida, para o que contará sempre com o meu singelo apoio”.

Confira a íntegra do discurso do desembargador Claudio Santos. 

 

 

+ Leia também

VOLTAR