Em análise Bolsonaro afirma que estuda acabar com a Justiça do Trabalho

O presidente Jair Bolsonaro (PSL), em entrevista ao SBT Brasil, afirmou que estuda acabar com a Justiça do Trabalho e que pretende aprofundar a reforma trabalhista — sem retirar direitos dos trabalhadores.

Bolsonaro respondeu da seguinte maneira à pergunta se ele pretendia enviar uma proposta para acabar com a Justiça Trabalhista: “isso daí, a gente poderia até fazer, está sendo estudado, em havendo clima, nós poderemos discutir essa proposta e mandar pra frente”.

“Qual país do mundo que tem [Justiça do Trabalho]? Tem que ser justiça comum. Tem que ter a sucumbência. Quem entrou na Justiça, perdeu, tem que pagar. Temos mais ações trabalhistas do que o mundo todo junto. Então algo está errado. É o excesso de proteção”, afirmou.

Apesar da declaração do presidente, o dado sobre o número de ações em relação ao resto do mundo não é verificável. Além disso, há Justiça do Trabalho em países como Israel, Alemanha, Inglaterra, Suécia, Noruega e Finlândia.

Sobre a reforma da Previdência, Bolsonaro afirmou que pretende aproveitar o projeto da reforma da Previdência que já está na Câmara dos Deputados. “Vamos rever alguma coisa porque a boa reforma é aquela que passa na Câmara e no Senado e não a que está na minha cabeça ou da equipe econômica”, disse.

Bolsonaro diz que pretende alterar, progressivamente, até 2022, a idade mínima para aposentadoria para 62 anos para homens e 57 anos para mulheres. “E o futuro presidente reavaliaria essa situação e botaria para o próximo governo, de 2023 até 2028, para passar para 63, 64 [anos]. Essa é a ideia”, afirmou.

Perguntado sobre a alíquota de contribuição previdenciária dos servidores públicos, Bolsonaro afirmou que não pretende aumentá-la. “Acredito que não seja necessário fazer isso daí. Onze por cento está de bom tamanho.”

Fonte: Jota

 

 

+ Leia também

VOLTAR